Receba por email as últimas atualizações deste site.

A subscrição é anónima e gera apenas um e-mail por dia.
Insira o seu endereço de email:

Por favor, se você acha que esse conteúdo é útil, compartilhe a(s) nossa(s) receita(s) nas suas redes sociais. Isso ajuda este site a continuar a publicar conteúdo relevante para si e para todas as suas redes de contatos.

Obrigado!

Carne de Porco

Tournedos com Boulgour

Partilhe esta receita:

  • 6 bifanas de porco grossas ou lombo / lombinho de porco fatiado
  • 6 tiras finas mas compridas de bacon
  • 1 cebola roxa
  • 1 pacote de natas light
  • 10 folhinhas de alecrim fresco / seco
  • 1 colher (sobremesa) de colorau
  • 2 dentes de alho
  • 2 grãos de pimenta preta
  • 2 grãos de pimenta vermelha
  • fio de cozinha ou palitos
  • 2 fios de azeite
  • sal q.b.
  • 1 chávena almoçadeira de boulgour (trigo)
  • 3 chávenas almoçadeiras de água quente
  • 1 colher de manteiga (facultativo)
  • abacaxi aos cubos q.b.
  • tomates chuca-mini ou cherry q.b.
  • sal q.b.

Começa-se por temperar a carne. Num almofariz pesado esmagam-se os dentes de alho com sal, pimenta preta e vermelha, o alecrim e um fio de azeite. No fim de obter uma pasta unta-se a carne. Enrolam-se pequenos pedaços da carne e rodeiam-se com uma fatia de bacon. Para manter a forma atam-se com fio (como se fosse um embrulho) ou segura-se o bacon com um palito.

Entretanto, para poupar tempo, ferve-se água e numa caçarola coloca-se o boulgour com a água quente e uma pitada de sal. Em lume francamente brando deixa-se cozinhar 15 minutos, tapado.
Quando terminar o tempo mistura-se a manteiga e deixa-se descansar 5-10 minutos.

Numa frigideira antiaderente bem quente, coloca-se um fio de azeite e a cebola picada. Reduz-se o lume ao mínimo e deixa-se cozinhar para que fique transparente, não loira nem queimada! retira-se a cebola para uma taça. Aquece-se bem a frigideira novamente e no azeite que restou (se não restou acrescenta-se) colocam-se os tornedós para alourair. Vão-se virando para não queimar e alourarem de todos os lados. Quando prontos colocam-se as natas e a cebola já cozinhada até levantar fervura. Retificam-se os temperos. Desliga-se o lume e deixa-se descansar.

Numa taça de ir à mesa coloca-se o boulgour, o ananás e os tomates, envolve-se.

Servem-se os tornedós a acompanhar com o boulgour e com o molho de natas.

Dicas:
– Os tornedós podem ser feitos, atados e congelados (desde que a carne não tenha sido já descongelada) para serem usados mais tarde noutra refeição. Aqui em casa fazem-se as coisas em duplicado e congelam-se, poupando trabalho para outro dia.

– Quando se quer alourar carnes a frigideira/tacho deverá estar bem quente para que frite e não coza o alimento. Se estiver fria os sucos da carne saem, esta fica seca, não fica loira, acaba por queimar na água que seca na frigideira.

– A cebola só se quer transparente, cebola queimada é cebola desperdiçada e por isso, lixo com ela. Para que a cebola (roxa) fique transparente e doce deve cozinhar em lume muito brando durante algum tempo.

– A forma de temperar o boulgour é a mesma dos couscous. Se se quiser no fim de cozidos e ainda quentes, coloca-se uma colher de manteiga, ajuda a soltar o grão. Aquilo que se mistura com estes parte da nossa imaginação e frigorífico.

– O adocicado das natas é balançado pelo ácido do abacaxi e o aroma forte do alecrim, mas outros aromas podem ser adicionados. Fiz este molho porque queria acabar com as natas, mas pode ser susbstituído por molho branco ou outro.

 

Deixe um comentário